Hoje é o Dia Nacional do Samba

Alô Dançantes!

Hoje é o dia Nacional deste que é um dos ritmos mais queridos pelos dançarinos de salão, o Samba.

O dia do Samba, foi instituído pela Câmara de Vereadores da cidade de Salvador em 1940, como parte das homenagens ao compositor Ary Barroso, que um ano antes lançara “Aquarela do Brasil”, com certeza a música mais conhecida, executada e regravada fora do Brasil. Esta foi a data que ele (Ary Barroso) visitou Salvador pela primeira vez.

A festa foi se espalhando pelo Brasil e virou uma comemoração nacional e em 1963 foi instituído o Dia Nacional do Samba. Atualmente duas cidades costumam comemorar o Dia do Samba: Salvador e Rio de Janeiro.

E já que somos o 4º pôlo de Dança de Salão do país, fica a sugestão para, quem sabe, organizarmos uma merecida comemoração no próximo ano…

Pequena História do Samba:

“A palavra samba surgiu de vários elementos africanos e o samba do Rio de Janeiro surgiu do batuque africano, de Angola e do Congo.

Antes do surgimento do samba propriamente dito, se dançava o batuque africano em filas ou em rodas com o ritmo sendo acompanhado por palmas. Desde o século XVII já se dançava ao ar livre, danças de origem provavelmente portuguesa, que com a influência negra deu origem a danças

rurais que recebiam o nome de xiba, no Rio de Janeiro, cateretê, em Minas Gerais e fandango nos estados do sul.

Depois da abolição da escravatura, no final do século XIX, se formaram basicamente duas vertentes do samba, a primeira na Cidade Nova/Praça Onze, onde nomes como Pixinguinha e Donga estavam presentes, esse samba tinha uma grande influência do maxixe, e desse samba surgiu posteriormente o samba dançado a dois, o samba de gafieira. Que foi a mistura do maxixe com outras danças européias.

A segunda vertente foi a que subiu o morro, levada por problemas socio-econômicos da época, onde deu origem, entre outras coisas, às escolas de samba, e na forma dançada, ao samba-no-pé. Foi nessa vertente que a percussão, oriunda do batuque africano, se fez mais presente.

O primeiro samba oficialmente gravado foi o “Pelo Telefone” datado de 1917. Foi registrado em nome de Donga, mas pesquisadores indicam que além de Donga outros músicos participaram da composição na casa de Tia Ciata na Cidade Nova. Donga porém foi o único a ter visão comercial.

Posteriormente Mauro de Almeida conseguiu constar como co-autor.

O samba originalmente era dançado em cabarés e gafieiras, daí o nome samba de gafieira, localizados em sobrados de Botafogo, Catete e Centro, no Rio de Janeiro. Por coincidência ou não as academias mais conhecidas ficam nesses bairros.

Foi somente na década de 40 que o samba de gafieira realmente ganhou força.

O samba de gafieira atual, importou alguns movimentos que são característicos do tango argentino.

Incorporou também passos acrobáticos em que a dama é “lançada” como uma boneca de pano. Por exemplo a enceradeira e o cabide.”

Fonte: Samba de Gafieira FAQ por Marco Antônio Perna

Abaixo alguns vídeos com demonstrações de samba em diferentes estilos:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s