2 de Dezembro, hoje é Dia Nacional do Samba!

Alô Dançantes!

Há mais de 65 anos o grande Dorival Caymmi compôs o histórico Samba de Minha Terra, cuja letra é categórica: Quem não gosta de samba/ bom sujeito não é/ é ruim da cabeça/ ou doente do pé. E será que há algum dançante que não goste de um bom samba? Mas precisamente de uma boa gafieira?

No ano passado fizemos uma enquete para ver qual o ritmo preferido dos nossos leitores e não deu outra, o samba confirmou o que já se via nas pistas dos bailes, venceu com ampla margem de diferença.

Mas por que justo no dia 2 de dezembro? O motivo é curioso: Ary Barroso , um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos compôs o samba Na Baixa do Sapateiro, que tinha uma letra que exaltava a Bahia, sem nunca ter visitado nenhuma cidade baiana. Mas na primeira vez que ele pisou em Salvador, num dia 2 de dezembro de 1963, o vereador baiano Luís Monteiro da Costa aprovou uma lei que declarava que aquele dia seria o Dia Nacional do Samba, numa forma de homenagear o compositor.

A partir desse acontecimento a data tornou-se um dia para se comemorar toda a riqueza do samba, um dos principais patrimônios culturais brasileiros. Em 30 de novembro de 2007  o samba de terreiro, o partido-alto e o samba-enredo foram declarados como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Antes disso, em 2005, o O Samba de Roda do Recôncavo Baiano foi proclamado Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

E até mesmo em razão de suas origens históricas e culturais, as duas cidades onde se tem as maiores comemorações pelo Dia Nacional do Samba são Salvador e Rio de Janeiro. Em Salvador sempre tem grandes shows lá no Pelourinho, com artistas e cantores famosos e com os sambistas locais. No Rio de Janeiro a festa fica por conta do animadíssimo Pagode do Trem. No Dia do Samba o pessoal se reúne lá na Central do Brasil, lota um trem inteirinho e vai tocando e cantando até o bairro de Oswaldo Cruz, onde lá formam-se várias rodas de Samba. Os vagões vão sempre lotados e em cada vagão vai um grupo que agita as rodas de Samba do Rio de Janeiro, incluindo grupos com sambistas famosos e locais.

Mas a nossa linda Ilha de Santa Catarina, cenário de tantas manifestações culturais, não ficará de fora. As comemorações já estão acontecendo no centro da cidade. No TICEM o grupo Número Baixo comanda a animação a partir das 11h:30. A partir das 19h a festa acontecerá no Mercado Público. Sambistas, intérpretes, compositores e representantes da Coloninha, Consulado, Copa Lord, Protegidos e União da Ilha da Magia vão se apresentar. Convidadas também alas de Velha-Guarda da Coloninha, Consulado, Copa Lord e Os Protegidos. Homenagem a Noel Rosa, pelo centenário, e a Seu Lidinho, passista da Copa Lord.

Quem sabe não incluímos na programação para o próximo ano um grande baile público de gafieira com a colaboração e participação de todas as academias da cidade e, é claro, dos nossos dançantes? Assim comemoramos o Dia do Samba e divulgamos a nossa arte. Fica a sugestão para o pessoal da ACADS.

Se você quiser saber um pouquinho mais sobre a história do Samba é só clicar aqui!






Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s