Galeria

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A DESTERRO MOSTRA DE VIDEODANÇA

cartaz Desterro Mostra de Videodança - A

Produtores do Brasil e do exterior têm até o dia 1° de julho para inscrever gratuitamente suas obras na Desterro Mostra de Videodança, que será realizada dentro da programação do Prêmio Desterro 2013 – 4° Festival de Dança de Florianópolis, entre 16 e 18 de agosto. Cada participante pode enviar para seleção até três vídeos com duração máxima de 15 minutos. O regulamento está disponibilizado em português, espanhol e inglês no site www.somosvalent.com/desterro e o material deverá ser remetido por e-mail.

Perishable (2) - Crédito Alex SoaresA ideia de inserir no festival a apresentação de uma coletânea desta natureza – inédita no território catarinense – surgiu de um encontro no último mês de maio entre a diretora artística do Prêmio Desterro, Bia Mattar, e os designers Fernanda do Canto e Javier Di Benedictis, que formam o duo Valent de pesquisa e produção de projetos audiovisuais e editoriais. “Falamos da nossa intenção em realizar a mostra e ela foi completamente favorável, desde o princípio. Conseguimos organizar com muita agilidade, principalmente pela estrutura e o respaldo que o festival nos deu”, conta Fernanda.

A exemplo de outros países, como Alemanha, Holanda e México, no Brasil já existem eventos exclusivamente dedicados à videodança. Mas, a exibição avulsa também tem sido bastante comum em mostras e festivais de dança pelo mundo. Segundo Bia, “é uma tendência, em função do incremento de novas mídias no meio cultural. Em festivais, ainda acontece por meio de algumas pequenas iniciativas, mas posso considerar o nosso como o primeiro a adotar este formato”.

Instante (3) - Crédito Alex Soares
Ainda sem horários e locais definidos, a exibição será gratuita e aberta a qualquer pessoa. As sessões, com tempo previsto entre 60 e 90 minutos, ocorrerão nos três dias do festival. Em uma delas, após as projeções, haverá um bate-papo com o coreógrafo e videomaker paulista Alex Soares, integrante da comissão julgadora do Prêmio Desterro deste ano. “Realizar a mostra neste contexto é muito positivo para o futuro da videodança em Santa Catarina”, aposta Fernanda. “Facilita, principalmente, o contato com um público interessado que poderá se tornar também produtor/realizador de videodança”.

Rite of City – Reminisce (1) - Crédito Maurice LaiAo abarcar atividades paralelas como esta, o Prêmio Desterro amplia sua atuação além das próprias noites de espetáculos, dos cursos de dança e da feira de produtos e serviços, proporcionando maior interação entre os artistas e deles com o público, em espaços diferentes da cidade. “Agrega novidade, contemporaneidade e informação aos participantes. Estamos abertos a novos projetos o tempo todo”, explica Bia. Para ela, é importante “estar sintonizado com as diretrizes do fazer artístico-cultural e valoriza a proposta de festival como um espaço congregador de conhecimento e aperfeiçoamento”.

Videodança

Derivada da videoarte, que surgiu em meados de 1960 com o próprio advento dos equipamentos de vídeo, a videodança começou a ser forjada no início da década seguinte, quando pesquisadores realizaram as primeiras experiências nesta direção. Diferente do que era só uma gravação da dança apresentada no palco ou em outro local, a nova vertente apropriou-se dos recursos desta mídia para aplicar na concepção de trabalhos, agora, artísticos. Coreógrafos e videomakers deixaram de fazer vídeos de perfil apenas utilitários, que na época inovaram o estudo técnico da dança devido à capacidade de reprodução e expansão do conhecimento nesta área, para dedicar-se a uma estética diferente. O movimento expressivo do corpo passou a ser pensado para e pela linguagem cinematográfica, dotada de infinitas possibilidades que até hoje são desenvolvidas e aperfeiçoadas tecnologicamente. Na opinião do diretor teatral e arte-educador maranhense Layo Bulhão, em uma postagem de 2011 em seu blog, “parte do mesmo princípio da dança contemporânea, onde ‘o que eu quero dizer?’ e ‘como eu digo isso?’ são fundamentais na construção da obra”.

A videodança traz aos olhos do espectador ângulos, enquadramentos, cenários, sons, efeitos, cores e demais elementos que não são possíveis no palco ou perceptíveis a quem assiste à coreografia acomodado na plateia. Segundo publicação da Wikidança, enciclopédia virtual colaborativa especializada em dança, “o vídeo deixa de ser apenas um meio de registro e reprodução e passa a ser parte componente de uma criação. É um dos possíveis resultados da interferência da tecnologia no fazer artístico de dança”.

Conforme Fernanda, no Brasil, eventos específicos para este gênero de arte “existem há cerca de dez anos, mas o interesse tem crescido tanto por parte dos realizadores quanto do público. A qualidade e diversidade dos trabalhos estão a cada ano melhores. Em Santa Catarina, muita gente está fazendo videodança e esperamos encontrar na mostra!”

VÍDEOS

Nos vídeos a seguir, trabalhos de autores que participarão da Desterro Mostra de Videodança:

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=m9GgBqSnQ6Q

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=dZnLX9PG3yI

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=I6CDo0FSNkA

 

Prêmio Desterro online:
Site: www.premiodesterro.com.br
Facebook: facebook.com/festivaldedanca
Twitter: @premiodesterro

969193_178867315614503_1153963236_n

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s