Galeria

PRÊMIO DESTERRO PROMOVE MINICURSO SOBRE VIDEODANÇA

videodança - Motion Control - crédito David Alexander Anderson

videodança – Motion Control – crédito David Alexander Anderson

      Estão abertas as inscrições para o minicurso “Corpo, Imagem e Movimento”, introdutório à videodança e à apreciação audiovisual em dança, que será ministrado pelo professor doutor Leonel Brum, um dos maiores estudiosos do assunto no Brasil, dia 23 de agosto, das 13h30 às 17h30, na sala de oficinas do Centro Integrado de Cultura (CIC). A atividade ocorrerá dentro da programação do Prêmio Desterro – 5° Festival de Dança de Florianópolis, podendo participar bailarinos, coreógrafos, videomakers, cineastas, estudantes e profissionais de dança e de comunicação, músicos, artistas e público em geral.

     Durante quatro horas serão abordados aspectos conceituais e históricos das relações entre dança, cinema e vídeo, com a exibição comentada de cerca de 20 títulos produzidos em épocas distintas, desde o advento do cinematógrafo no final do século XIX até a atualidade. “Passamos pelo cinema mudo, sonoro, musical, a chegada do vídeo e depois a videodança”, pontua o ministrante, que lança reflexões sobre as diferentes abordagens e leituras possíveis deste tipo de obra.

     Os objetivos do minicurso são a formação de plateia e o incentivo à pesquisa e à produção local de videodança. “Não é só para o pessoal da dança. A ideia, também, é aproximar artistas, produtores de cinema e vídeo dos coreógrafos e bailarinos”, explica Leonel, que atualmente leciona nos cursos de bacharelado e licenciatura em dança do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA/UFC).

     A matrícula custa R$ 20 e dá direito a certificado. Para se inscrever, basta efetuar depósito bancário e apresentar o comprovante na hora da chegada. Os dados para pagamento estão no site www.premiodesterro.com.br. Caso ainda haja vagas disponíveis, a inscrição poderá ser feita no local.

videodança - Motion Control - crédito David Alexander Anderson

videodança – Motion Control – crédito David Alexander Anderson

Difusão

     Inédito em Santa Catarina, o minicurso fortalece e dá continuidade ao investimento que o festival vem fazendo no setor desde o ano passado, com a criação da Mostra Desterro de Videodança. A coletânea exibida em 2013 contou com autores de todos os continentes. Para este ano, com o foco direcionado à criação nacional, foram selecionados mais de duas dezenas de vídeos, quase todos brasileiros. Além disso, haverá a projeção de mais um trabalho fora da mostra, especialmente convidado. Segundo a diretora artística do Prêmio Desterro, Bia Mattar, a intenção é “fomentar estudos e práticas de videodança, dando espaço para artistas e produtores mostrarem seus talentos na área de expressão corporal e do audiovisual”.

     Na avaliação de Leonel Brum, que também é um dos idealizadores do projeto Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança, há 11 anos no Rio de Janeiro, existe uma produção razoável de videodança no País. “Tem muita gente fazendo. É acessível, barata, a edição é rápida, o editor de imagens se encontra de graça na internet, e pode ser gravada até com smartphone. Cresce cada vez mais”, revela. “As diversas interfaces tecnológicas surgem a cada momento e servem como suporte das imagens. Essas tecnologias digitais e a internet revolucionaram e permitiram a melhoria dos métodos de preservação, gestão e distribuição da videodança”, completa Bia.

videodança - Random 2.0 - crédito Colectivo Random - Nazario Osano

videodança – Random 2.0 – crédito Colectivo Random – Nazario Osano

     Apesar do boom produtivo a partir do início dos anos 2000, não existe um mercado específico para a videodança no Brasil. Em geral, sua circulação se dá em festivais do gênero e algumas outras ações dirigidas. Bia explica que “muitos poucos trabalhos coreográficos estão disponíveis para visualização. Cada organização tem seus próprios arquivos e pode permitir o acesso ou não. Inúmeros artistas filmam suas obras, mas o produto é frequentemente distribuído de forma confidencial ou por meio de redes restritas”.

     Conforme Leonel, “a relação da dança com o vídeo é muito recente enquanto arte. Essa é a grande dificuldade de divulgar a videodança”. Ainda que alguns canais de televisão por cabo eventualmente dediquem espaço à sua exibição, para o professor, a popularização seria muito mais eficaz se transmitida na TV aberta. “É o lugar da videodança, ela foi feita para a TV”.

Leonel Brum

Leonel Brum - crédito Arquivo Pessoal

Leonel Brum – crédito Arquivo Pessoal

  É um dos diretores fundadores dos festivais Dança em Foco (2003 a 2014) e PODfest – Festivais de Poéticas Visuais (2014). Criou os festivais Dança Brasil (1997 a 2004) e Dança Criança (2006 a 2008), ambos no Rio de Janeiro. Foi curador, junto com Beatriz Cerbino, da exposição “Rio Dança – Os Passos da Dança Carioca” (2012). Recebeu o prêmio do Edital Fada da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro para publicação do catálogo “Movimentos da Dança Carioca” (2013).

     Doutor em artes visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em comunicação e semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Trabalhou como coordenador de dança da Funarte (2007 a 2010). Lecionou no curso de pós-graduação em dança da UniverCidade e no curso de graduação em dança do Departamento de Arte Corporal da UFRJ. É professor dos cursos de bacharelado e licenciatura em dança do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA/UFC). Tem livros e diversos artigos publicados sobre história da dança, videodança e gestão cultural em dança.

videodança - Study 1945 - crédito Maya Deren

videodança – Study 1945 – crédito Maya Deren

Links

> “A Study in Choreography for Camera” (Maya Deren e Talley Beatty, EUA/1945): www.youtube.com/watch?v=AcBWt0tm6AI

 

> “Motion Control” (David Alexander Anderson, Liz Aggiss e Billy Cowie, Inglaterra/2002): www.youtube.com/watch?v=8ZNXk1JZems

 

> “E no Abismo de Nós Havia Azul e Cinza” (Erika Cardoso, Brasil/2013): vimeo.com/69589425

 

> “Random 2.0” (Colectivo Random e Nazario Osano, Uruguai/2013): vimeo.com/75170310

 

 

Prêmio Desterro online:

Site: www.premiodesterro.com.br

Facebook: facebook.com/festivaldedanca

Twitter: @premiodesterro

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s